27 de julho de 2008

Anão




"Eberk segurava firme o seu machado. A notícia da morte de seu melhor amigo o deixára abalado, com um olhar fixo e sem nenhuma expressão no rosto.
Tantas lembranças passando pela sua cabeça não o deixavam reparar o brilho mágico agora emanando da sua arma. Era como se as lembranças de seu amigo revivessem o seu poder, agora encrustado na arma, forjada no metal sagrado das minas da cidade onde cresceram.
O clãn Lutgehr havia perdido um bravo guerreiro, mas não a sua força."



Colorização digital.
Muito trabalho, que coisa difícil... Gostei mais do segundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você pode comentar na modalidade "anônimo", sem precisar LOGAR em nenhuma conta.
Sua opinião e crítica são fundamentais; obrigado por comentar!