27 de dezembro de 2013

Halfling Herbanário - Halfling Herbalist

"- Se perdeu da grande estrada de novo, pequeno comerciante?
- Senhora?
- Senhor Lorenzo Cogumelo, não diga que não lembra mais de mim!
- Bem, não passo por estas colinas há alguns anos! Se torna difícil lembrar de todos os clientes...
- Sou Seleril do bosque da colina! Há 7 anos atrás, quando esteve aqui pela primeira vez, você me vendeu uma erva rara do sul. Foi com ela que consegui produzir a poção que faltava para curar o grande carvalho da vila. Eu consegui!
- Veja só! Fico feliz de ter ajudado você e o grande carvalho! Mas como eu disse, é difícil lembrar do nome de todo mundo. Lamento muito.
- Entendo...
- Mas acredito que este frasco de perfume em formato de cisne possa compensar em parte o meu esquecimento! Eu o trouxe de Lótëmalina, na Grande Floresta do Sul!
- Que lindo, Lorenzo!!! É maravilhoso, você é mesmo um...
- São apenas 40 pratas!"

2 de novembro de 2013

MAGO: A ASCENSÃO - Esse dia vai chegar


"O líder nacional da organização tecnocrata estava só, suando frio e segurando firme o encosto da cadeira sem conseguir disfarçar ou esconder o medo. Luciano, pelo contrário, tinha um sorriso sarcástico no rosto. Dos três Magos, ele era o que mais sentia prazer em finalmente encontrar seu inimigo poderoso em uma condição tão frágil:
 - Veja! Um ás de espadas! Tirei um agora há pouco! É o mesmo que tirei na noite em que o helicóptero do seu pessoal quase nos matou nas docas, "Doutor"... Lembra disso? Atiraram em nós! Acertaram minha amiga! Mas agora você está aqui, na MINHA mira... O destino é fascinante, não é mesmo!? Tão cheio de surpresas!

- Vocês são uma ameaça! O helicóptero, na noite do naufrágio? Eu dei as ordens, sim! A Mágika de vocês é...
 
- Pshhhhh! Cale essa boca! - interveio Pedro, fazendo um esforço colossal para conter seu ódio e impaciência. Baltazar, atrás deles, sentia-se desconfortável e não sabia como reagir. Estava tentando se distrair com algum aplicativo vulgar em seu smartphone, mas ainda assim começara a suar frio como seu inimigo. A violência eminente era demais para sua personalidade pacífica e ele se esforçou para fazer uma brincadeira: - Espera aí, Luciano! O Instagram está carregando aqui!

Ninguém riu com ele. Seus companheiros não sabiam o que era Instagram e mesmo que soubessem, estavam tensos demais para esboçarem sorrisos. Lhes incomodava o fato de finalmente terem conseguido chegar ali e ainda assim não conseguirem "começar". Se perguntavam porquê. Foram tantos anos sofrendo com a perseguição da organização daquele sujeito, de seus assassinos sanguinários, e agora que estavam diante dele, não conseguiam fazer nada. Iriam interrogá-lo? Simplesmente deixá-lo partir? Tudo parecia mais uma brincadeira do destino, daquelas que fazem momentos bons darem muito certo ou coisas ruins ficarem ainda piores. E assim eles ficaram por mais alguns segundos até que Pedro, impaciente, rompeu o silêncio e tirou seu cachimbo do bolso argumentando algo que convenceu seus companheiros:
- A essas horas os  desgraçados que ele comanda já devem ter descoberto onde estamos. Vamos ficar plantados aqui a noite toda? Nem temos como sair pela porta, preciso me concentrar para tirar a gente! Acabem logo com isso!

Baltazar, muito tenso, não se conteve e tentou balbuciar alguma coisa:
- Mas ele... Na verdade não precisamos de...
- Se vocês não acabarem logo com isso eu vou destruir o espírito desse cara ou expulsa-lo para um plano inferior! Querem que eu faça? - retrucou Pedro. Estava completamente decidido e determinado a acabar com tudo. Algo dentro dele não deixava que se incomodasse ou afetasse com estas situações.

Luciano concordou com Pedro e tentou justificar as iniciativas: - Tem que ser assim, Baltazar. Lembra de quantas vezes estivemos por um triz com os assassinos dele? Quer que eles continuem na nossa cola? 
Olho por olho, dente por dente! É justo. - Ele trazia consigo a frieza de um ex-agente duplo, de ações de risco, negócios diretos e julgamentos simples. E assim, sem tempo e paciência para se preocupar com opções melhores, guardou a carta no bolso e estendeu os braços segurando a arma com as duas mãos. Já se preparava para declarar e executar a sentença quando o tecnocrata se levantou rápido estimulando o andamento dos fatos; não resistira às ameaças e conseguiu juntar coragem para levantar e tentar proferir insultos:
- Vocês não sabem o que fazem! São monstros lunáticos! Boçais! Aberrações! A mágika é prejudicial à humanid...

BLAM!

Estava feito. Baltazar virou de costas para não ver a execução, ressentido com a violência que julgava desnecessária, mas o projétil ainda assim partiu da pistola em uma viagem certeira, bem como o Ás de Espadas da Mágika entrópica havia garantido. O velho estava morto.

Pedro assistiu tudo com indiferença e apenas piscou com o som alto do disparo da arma enquanto acendia seu cachimbo. Com a primeira tragada, em segundos a fumaça subiu e as tatuagens que apareciam acima da gola de sua camisa começaram a se mover sob a pele. Eram desenhos tribais que dançavam coordenadamente pelo seu corpo, sempre formando novas figuras em movimentos que seguiam o ritmo das palavras Tupi-Guarani que ele pronunciava. Uma antiga Mágika de teleporte estava sendo invocada.

Luciano, o carrasco, ficou parado observando o sangue escorrer na tela brilhante dos computadores enquanto o velho desabava sentado novamente. Com isso a cadeira de couro do escritório correu para trás com seu usuário sem vida; as rodas criando um rastro de sangue no assoalho. Até o piso branco também ficara vermelho, com uma poça enorme, mas Luciano, mestre do Tempo e da Entropia, só via mais uma "lembrança do futuro", uma espécie de Déja Vu; um episódio sem graça da vida, com cenas que ele sentia já ter visto antes. Sentia o Jor... Nem as palavras místicas em Tupi-Guarani, em tom cada vez mais enfático, conseguiam distraí-lo. Ele só voltou a si quando a fumaça de pólvora entrou pelo seu nariz, fazendo-o lembrar do passado obscuro no Rio de Janeiro. Foi aí que ele se virou, percebendo que agora havia silêncio. Pedro vinha caminhando sério na sua direção, segurando Baltazar pelo braço, e então houve um grande estouro explosivo que sacudiu tudo, mas eles se juntaram a tempo e a antiga Mágika indígena os teleportou dali.

Os três não tinham certeza, mas agora o edifício ruía, bem no centro de Montevideo. Mais um "ataque terrorista" na cidade. Mais terroristas a serem caçados.

Na terra do pacífico Mujica, a guerra iria continuar.”

3 de junho de 2013

Anão Herbanário - Dwarf Herbalist


Anão Herbanário - Dwarf Herbalist
Quando cheguei na cidade de Pelotas para cursar licenciatura em Artes Visuais, em 2006, eu nem sabia que era "nerd", apesar de não ter vida social, gostar de jogos, Caverna do Dragão, Coração de Dragão, O Senhor dos Anéis, etc. Também me chamavam de "desenhista", e esse era o ponto; sem saber o que queria da vida, pensei em entrar nas Artes para estudar alguma coisa enquanto tentava entrar no curso de DESIGN, e nesse tempo pensei em aproveitar para aprender a desenhar melhor!

Foi aí que o RPG entrou na parada! Na primeira vez que joguei - um inesquecível one shot de D&D mestrado pelo Leandro Peixoto -, na biblioteca da faculdade(!!!), vi que roleplay era muito mais legal que videogame, e logo me dei conta de que aqueles livros ilustrados seriam o que me motivaria infinitamente a aprender a desenhar melhor. E assim foi, bem aos poucos, à medida que eu desistia de entrar para o DESIGN e continuava o curso de Artes. Foi por aí, também, que conheci a LIBER LUDO, a única loja de artigos de RPG que tínhamos na cidade; lá, muito entrei, estudante sem dinheiro, apenas para chatear o atendente que me via folhear os livros e ficar babando diante da prateleira com as Dungeons & Dragons Miniatures, e depois sair sem comprar absolutamente nada...

Hoje, numa mistura de ironias do destino, sou um eterno RPGista, Dungeon Master e aspirante a ilustrador, e estou tendo a satisfação de ajudar a ilustrar um web book de D&D do Rafael Bandeira, ex sócio-proprietário da tal LIBER LUDO, que me apresentou e viciou nas enlouquecedoras miniaturas de RPG! Só posso dizer que estou honrado e me divertindo muito! Dá trabalho, mas o resultado compensa!

Mais informações em breve!

24 de maio de 2013

Promoção: Concorra a uma ilustração do seu personagem de RPG favorito! - Gormanon


Este é mais uma reedição de personagem da promoção.

Para participar:

Você comenta esta postagem com uma detalhada descrição do seu personagem de RPG favorito e fica concorrendo a um desenho dele. Quanto à escolha, não há sorteio! Eu faço uma lista com todas descrições e tento desenhar os personagens que mais me chamarem a atenção. Portanto, capriche nos detalhes da sua descrição e não esqueça de deixar um e-mail para contato, para o caso de você ser contemplado! É simples! Vai ser divertido relembrar e/ou descrever o seu personagem. Participe! Não esqueça de deixar um e-mail para contato!


Lembrando que, se você for contemplado, me comprometo apenas em lhe enviar uma cópia DIGITAL da ilustração, por e-mail, gratuitamente, a qual não poderá ser alterada, vendida ou UTILIZADA COMERCIALMENTE de maneira alguma, sob pena de violação de direitos autorais. A divulgação do desenho sem objetivo comercial será permitida, é claro, contanto que os devidos créditos sejam dados a mim, o autor da ilustração. Portanto, ao participar da promoção postando um comentário com a descrição de um personagem, você está automaticamente CONCORDANDO que leu este comunicado e que concorda com os termos, entendendo que os direitos autorais, morais e de propriedade das ilustrações produzidas por mim através desta promoção são integralmente meus. Agradeço a sua colaboração!
E obrigado a todos que confiaram e já participaram até agora!

Forte abraço!

Promoção: Como é/era o seu personagem de RPG favorito? Participe e concorra a um desenho dele!

Elfo ladrão - Elven Thief

Este é o Tejemu Fuso, um elfo ladrão da minha campanha própria de D&D. É que eu costumo desenhar os personagens dos meus jogadores, de presente, quando eles mesmos não são ilustradores... Hahahahahah 

Mas aquela promoção dos personagens de RPG ainda está valendo! Para participar:

Você comenta esta postagem com uma detalhada descrição do seu personagem de RPG favorito e fica concorrendo a um desenho dele. Quanto à escolha, não há sorteio! Eu faço uma lista com todas descrições e tento desenhar os personagens que mais me chamarem a atenção. Portanto, capriche nos detalhes da sua descrição e não esqueça de deixar um e-mail para contato, para o caso de você ser contemplado! É simples! Vai ser divertido relembrar e/ou descrever o seu personagem. Participe! Não esqueça de deixar um e-mail para contato!

Lembrando que, se você for contemplado, me comprometo apenas em lhe enviar uma cópia DIGITAL da ilustração, por e-mail, gratuitamente, a qual não poderá ser alterada, vendida ou UTILIZADA COMERCIALMENTE de maneira alguma, sob pena de violação de direitos autorais. A divulgação do desenho sem objetivo comercial será permitida, é claro, contanto que os devidos créditos sejam dados a mim, o autor da ilustração. Portanto, ao participar da promoção postando um comentário com a descrição de um personagem, você está automaticamente CONCORDANDO que leu este comunicado e que concorda com os termos, entendendo que os direitos autorais, morais e de propriedade das ilustrações produzidas por mim através desta promoção são integralmente meus. Agradeço a sua colaboração!
E obrigado a todos que confiaram e já participaram até agora!

Forte abraço!

23 de março de 2013

Promoção: Concorra a uma ilustração do seu personagem de RPG favorito! - Der Blaue Reiter


Este seria um dos resultados da promoção, mas durante o processo eu o mostrei ao dono do personagem e ele achou o cavalo sem movimento e o personagem não muito fidedigno... Eu acabei concordando com ele e então desisti da missão, concluindo ele de outra forma, com algumas modificações, para não perder o trabalho. Mas valeu a pena pela experiência da pintura, pois aprendi bastante! A descrição do personagem era essa:
"meu personagem
humano, cablos curtos, brancos, barba marrom estilo boromir. usando armadura completa, um cinto marrom duas espoadas na cintura, tabardo com o simbolo de um dragão roxo (dragões purpuras ref a forgoten realms cormyr) montado num cavalo branco. usa uma capa roxa. usa espadas longas, duas ambas com as bainhas do lado direito do corpo. o tabardo é branco.
ele esta em um plato observando uma vila de orcs, ou uma fortaleza."

Mas vamos para o próximo! Para participar da promoção:

Você comenta esta postagem com uma detalhada descrição do seu personagem de RPG favorito e fica concorrendo a um desenho dele. Quanto à escolha, não há sorteio! Eu faço uma lista com todas descrições e tento desenhar os personagens que mais me chamarem a atenção. Portanto, capriche nos detalhes da sua descrição e não esqueça de deixar um e-mail para contato, para o caso de você ser contemplado! É simples! Vai ser divertido relembrar e/ou descrever o seu personagem. Participe! Não esqueça de deixar um e-mail para contato!


Lembrando que, se você for contemplado, me comprometo apenas em lhe enviar uma cópia DIGITAL da ilustração, por e-mail, gratuitamente, a qual não poderá ser alterada, vendida ou UTILIZADA COMERCIALMENTE de maneira alguma, sob pena de violação de direitos autorais. A divulgação do desenho sem objetivo comercial será permitida, é claro, contanto que os devidos créditos sejam dados a mim, o autor da ilustração. Portanto, ao participar da promoção postando um comentário com a descrição de um personagem, você está automaticamente CONCORDANDO que leu este comunicado e que concorda com os termos, entendendo que os direitos autorais, morais e de propriedade das ilustrações produzidas por mim através desta promoção são integralmente meus. Agradeço a sua colaboração!
E obrigado a todos que confiaram e já participaram até agora!

Forte abraço!

12 de março de 2013

Gibborim


Ilustração incompleta de um projeto do ano passado que não deu certo. Foi feita com mouse, sem tablet.
Hahahah

3 de março de 2013

As Amazonas



Resolvi escrever um mini-conto para acompanhar o desenho, pois faz tempo que não faço isso e, na verdade, me divirto muito fazendo. Não é bem um conto, mas serve para RPGistas à procura de idéias para um cenário de campanha. Lá vai:

"Trabalhei fora daqui, na penúltima campanha imperial no sistema 
Tau Ceti, em um satélite natural chamado Niobium. Era um lugar com uma implacável superfície rochosa e cinzenta que contrastava com a cor alaranjada de Aurantiacus, o planeta que orbitava; uma coisa gigantesca, quase surreal, com uma superfície coberta pela lava de seus inúmeros vulcões ativos. Eu via ele muito pouco, mas até que o achava bonito. As outras luas dele também eram pedaços de rocha interessantes de se ver!


Mas Niobium, ao contrário das outras luas e do próprio planeta, tinha uma atmosfera razoavelmente suportável e até uma reserva de água razoável em forma de cristais de gelo, o que facilitava as operações. Nosso principal e quase único interesse lá era a extração de Nióbio, um metal super resistente ao calor, ideal e indispensável para fabricação de turbinas e propulsores. Lá nossas máquinas trabalhavam sem parar, cavando fundo na crosta rochosa, e pelos inúmeros túneis nossas naves entravam zumbindo, levianas, para depois saírem flutuando lentamente, com os compartimentos de carga cheios de centenas de toneladas de minério. A cada partida as paredes vibravam ao ponto de parecer que o lugar ia ruir, às vezes até avariando algumas estruturas, mas nem assim parávamos.


A pressa era maior porque nossas plantas de fundição e processamento na superfície ainda estavam em construção, então tínhamos que carregar e fazer tudo em órbita, onde uma frota industrial provisória estava estacionada. Havia realmente muita urgência em suprir a indústria bélica, e as minas quase não conseguiam extrair o suficiente... A legião precisava de mais foguetes e não podíamos perder tempo!


Foi então que, para acabar com tudo, surgiram as Amazonas; os grupos de sabotagem do inimigo. Batizamos eles assim porque eram pequenos esquadrões compostos curiosamente por uma grande maioria de mulheres. Não donzelas, mulheres guerreiras! Surgiam do nada, pilotando naves pequenas e extremamente manobráveis que nossos radares e batedores sempre captavam tarde demais. Muitas vezes interceptavam nossos cargueiros ainda nos túneis das minas, implodindo os propulsores e tanques de combustível, jogando-os de volta nas profundezas com tudo e todos dentro. As marmotas da minha equipe cavavam a quilômetros da saída e mesmo assim sentíamos a vibração dos impactos... Depois elas localizaram nossa posição e abriram túneis secundários, com os quais driblavam a guarda e os portões das minas e atacavam direto no coração das estações, matando e inutilizando tudo. Foi essa estratégia de guerrilha e bravura quase suicida que rendeu àquelas batalhas o "honroso" título de amazonomaquias. Funcionava bem. Era uma humilhação ultrajante para o império, e nossa resposta vinha rápida na forma de massivos contra-ataques, dos quais elas apenas se esquivavam para depois de um tempo ressurgirem em outros lugares em novos atentados surpresa. Havia pausas, mas a merda continuava. Foram treze anos assim, com nossos contra-ataques surtindo pouco efeito, e fomos perdendo as estações, uma a uma, até o comando central finalmente decidir pela implosão dos túneis e a total interrupção das atividades.

Foi por pouco! Nos últimos anos eu mal conseguia dormir, perdido em pesadelos nos quais despencava da atmosfera dentro desses cargueiros condenados, ou me via morrer sufocado, sem resgate, como muitos companheiros que ficaram presos em túneis selados pelos ataques do inimigo. 
Presenciei várias invasões e massacres e a incerteza do amanhã, de quando seria minha vez de morrer, era a parte mais aterradora, mas foi o que me fez mudar. No fim cheguei a aceitar que nunca sairia vivo do fundo daquele formigueiro macabro, e esse parece ter sido o segredo que me trouxe um pouco de tranquilidade. No fim, acabei tendo mais sorte do que esperava.


Quanto à questão da guerra, aquela era praticamente nossa única mina na região e 
para manter a expansão precisávamos renovar os esquadrões de caça, e ao interromper o fornecimento o inimigo deu um tiro certeiro. Em 3 anos nossa frota foi reduzida de tal forma que fomos obrigados a recuar e abandonar todo o quadrante. Fomos sabotados. A vitória era deles, a derrota tinha gosto amargo, mas eu estava vivo, e voltando para casa...


Fui tomado por uma felicidade intensa. E lá estava eu na 
sessão de avaliação psicológica, o último passo para eu poder requisitar minha dispensa e deixar aquele sistema solar imundo! A psicoterapeuta nem sequer precisou conversar muito comigo; era Elizabeth, uma mulher alta, de cabelos escuros caindo pelos ombros, grandes olhos amendoados, lábios carnudos, um corpo de formas bem definidas e o zipper do horroroso macacão da frota militar meio aberto formando um decote generoso... Depois de 5 anos de trabalho contínuo nas minas, ela era simplesmente a primeira mulher que eu via que não tentaria me matar, e minha reação à ela foi óbvia e rendeu um diagnóstico rápido da minha patologia: ginofobia, fobia de mulheres... E então eu tinha um trauma e era provavelmente o único minerador da galáxia que não suportaria assistir um striptease inteiro. Demorei para superar! Maldita guerra, maldita Niobium, maldita mina, malditas Amazonas! Caso ainda não tenha entendido, a
 legião te dá dinheiro, mas só te tira de um planeta para jogar sua vida no espaço. Não aliste-se!"


"Joe Marmota" - Joe Mendez McCarty
Operador de escavadeira nas minas de Niobium, no quadrante Tau Ceti - CB-13




Na wikipédia:


"Amazonomaquia (em grego antigo, literalmente, "batalha das amazonas") era o nome dado aos retratos artísticos feitos sobre as batalhas lendárias entre os antigos gregos e as Amazonas. Estas criaturas estrangeiras sucumbiam, em diversos mitos, à personagens como Héracles e Teseu, simbolizando o triunfo das civilizações helênicas sobre os bárbaros."



Fica a questão: o quê é um bárbaro? Ou, para quem serve essa idéia?

Hahahahah

Akromatonian



Ficção espacial B à moda anos 70? Pensei a mesma coisa!


Doodles como este são a "fast food" do mundo dos desenhos; rápidos, baratos e saborosos! (:

Este eu fiz para um aluno, na escola. O único problema acontece quando eu simpatizo com um desenho desses e reaproprio a folha na qual desenhei. Fico devendo mais desenhos ainda! E são cobranças que aparentemente vão se prolongar ad infinitum; as crianças tem boa memória!
Hahahahah

Promoção: Concorra a uma ilustração do seu personagem de RPG favorito!



Este é um personagem que não chegou a sair do papel no meu próprio grupo de Dungeons And Dragons 3.5, mas eu obviamente não esperava que isso acontecesse e acabei ilustrando ele, seguindo as descrições do jogador que criou a ficha. Ele seria um anão guerreiro que ganhava a vida atuando como guarda de caravanas comerciais. Sua armadura seria uma loriga segmentada e suas armas de combate o machado e o escudo, conforme aparece ali. Sua montaria seria um pônei austrino ou pônei das neves, como vocês também podem ver... Enfim, gostei do desenho, embora ainda esteja inacabado - talvez para sempre -, e resolvi dividir com vocês. Queira ou não queira, ele também é um resultado da velha promoção de sempre. E ela ainda está de pé! Para participar:
Você comenta esta postagem com uma detalhada descrição do seu personagem de RPG favorito e fica concorrendo a um desenho dele. Quanto à escolha, não há sorteio! Eu faço uma lista com todas descrições e tento desenhar os personagens que mais me chamarem a atenção. Portanto, capriche nos detalhes da sua descrição e não esqueça de deixar um e-mail para contato, para o caso de você ser contemplado! É simples! Vai ser divertido relembrar e/ou descrever o seu personagem. Participe!


Lembrando que, se você for contemplado, me comprometo apenas em lhe enviar uma cópia DIGITAL da ilustração, por e-mail, gratuitamente, a qual não poderá ser alterada, vendida ou UTILIZADA COMERCIALMENTE de maneira alguma, sob pena de violação de direitos autorais. A divulgação do desenho sem objetivo comercial será permitida, é claro, contanto que os devidos créditos sejam dados a mim, o autor da ilustração. Portanto, ao participar da promoção postando um comentário com a descrição de um personagem, você está automaticamente CONCORDANDO que leu este comunicado e que concorda com os termos, entendendo que os direitos autorais, morais e de propriedade das ilustrações produzidas por mim através desta promoção são integralmente meus. Agradeço a sua colaboração!

E obrigado a todos que confiaram e já participaram até agora!


Forte abraço!