23 de dezembro de 2009

Steampunk - AB - CD - Transporte civil.


"O velho "quatro patas" apresentava uma lataria pouco desgastada e pareceu bastante atraente aos olhos dos seus compradores, mas o que, a primeira vista, parecia um bom negócio, logo se tornou um pesadelo. Cometeram um erro ao comprá-lo. Fazia apenas um mês que o haviam adquirido e ele já os decepcionara uma porção de vezes. O que, logo, acarretou no início das discussões:
- Eu disse a você que devíamos ter comprado o dirigível, estava feio por fora, mas funcionava.
- Feio? Você quiz dizer furado, ?
- Era só tapar o buraco. Aposto que ele não ia perder um pedaço por quilômetro, como essa coisa.
- Ah!
A viagem que deveria durar 2 semanas já passava de 3. Um atraso enorme para quem carrega correspondências. O sultão das cidades-oasis já devia estar impaciente, mas procurando não pensar nessas coisas, Cão Selvagem e Ostra do Deserto, os carteiros atrasados, continuavam sua jornada.
Cão e Ostra tinham a vantagem de não se chatear um com o outro. Eram muito bons amigos e sempre arrumavam o que fazer. Mas neste dia, enquanto os dois, já desorientados, e desocupados, discutiam se era domingo ou segunda-feira, as engrenagens do motor pararam novamente. Seria "Quatro patas" decepcionando os dois mais uma vez?
Simultâneo ao silêncio do motor, uma luz acendeu no painel do veículo informando ao maquinista o que havia acontecido. Ao ver a luz acender, cão não se conteve:
- Mas que droga, de novo não!
Do compartimento traseiro, sem entender nada, Ostra gritou ao amigo na cabine:
- O que foi? Por que paramos?
- Temos problemas no calcanhar esquerdo.
- Mas... Por mil monóculos! Arrumamos ele ontem!
- Pois é... E pior, é a sua vez de consertá-lo!
- Eu? Só eu tenho feito consertos ultimamente, nem pensar!
- Como assim, ontem fui eu que arrumei!
- É, sim, só ontem. Seu malandro!
- Afff! Tá bom, mas você pilota durante a noite, é a minha vez de dormir.
- Fechado! - Ostra respondeu sorrindo, ao ver-se livre do conserto. Gostava de pilotar à noite e já estava farto de aparelhos de solda e de parafusos enferrujados. Nisso, preparando-se para seu turno de pilotagem, tornou a sentar-se na poltrona de onde levantou curioso, no momento da parada repentina do veículo. Se recostando para tentar tirar um último cochilo, acrescentou ainda ao seu amigo lá fora: - E vê se anda logo, estamos com uma semana de atraso e já está escurecendo.
Debochando do amigo, para o qual devia mais de meia dúzia de turnos, Cão retrucou em falso tom teimoso: - Sem pressa amigo, você não quis arrumar! Senta a sua bunda magrela aí e espera.
- Com muito gosto! - Ostra respondeu em meio a gargalhadas.
Preguiçoso, Cão foi descendo devagar pela escada de corda que jogou da cabine, reclamando sozinho: - Ai, ai, lá vou eu encher minhas meias de areia outra vez... "Quatro patas", você me dá trabalho!
Ouvindo as exclamações do amigo, Ostra deixou um conselho, antes de cair no sono instantâneamente: - Quando terminar, já deixe as ferramentas no compartimento de carga do calcanhar. Trazê-las aqui para cima é perca de tempo. Essa belezinha já estragou 4 vezes desde a última vez em que tomei banho!
Sem cansar de brincadeiras, Cão provocou: - Com toda essa higiene pessoal, algo me diz que vou dormir do lado de fora hoje! - Com excessão de roncos desordenados, não ouviu mais nada. Estava só."


Teste de pintura de cenário...
Sim, o veículo parece uma AT - AT do Star Wars, mas essa é uma releitura Steampunk e é de uso civil! =]
Que os deuses salvem George Lucas e Tolkien, os legítimos pais dos clichês!

Um comentário:

  1. Quero o 4 patas pra mim, com problemas, defeitos e tudo mais, e os outros que andem a pé ¬¬' rs
    Adorei a imagem!

    ResponderExcluir

Você pode comentar na modalidade "anônimo", sem precisar LOGAR em nenhuma conta.
Sua opinião e crítica são fundamentais; obrigado por comentar!